Ansiedade é doença: saiba como tratá-la

Ansiedade está relacionada a sofrer por antecipação. É a preocupação com o que ainda está por vir, o frio na barriga e o receio frente a uma situação que possa parecer ameaçadora.

Essa condição geralmente é associada a uma exposição a condições difíceis, como a apresentação de trabalhos, competições em geral, dias atarefados e ainda situações de risco. No momento da ansiedade, alguns hormônios suprem nosso organismo de energia física e mental, com o objetivo de lutar ou fugir.

ANSIEDADE NÃO É BRINCADEIRA

Diferente do que se imagina, a ansiedade é um mecanismo benéfico que nosso corpo criou para aumentar as chances de sobrevivência em ambientes hostis. Usamos o lado bom da ansiedade quando precisamos 

de uma força extra para superar desafios e dificuldades em busca de alcançar objetivos.

Entenda que a ansiedade pode ser encarada como uma espécie de alarme. Mas, cuidado, quando o alarme quebra, ele dá sinais de perigo quando não existe risco algum. Em alguém ansioso, as preocupações dominam e, com elas, o medo. A partir do momento em que o alarme quebra, problemas na segurança começam a aparecer.

Assim, não se dorme bem, nem se come bem ou se consegue fazer alguma coisa direito. A autoestima cai, a angústia e a frustração aumentam. A resistência fica para trás e todo o organismo sofre com susceptibilidade a infecções, distúrbios vasculares e depressão.

Ansiedade de vários jeitos

A ansiedade quase sempre não vem sozinha. Ela chama alguém para acompanha-la no baile da nossa mente para se sentir mais confortável na festa. Dentre eles, podemos encontrar:

  • Fobias;
  • Síndrome do Pânico;
  • Estresse Pós-Traumático;
  • Transtorno Compulsivo-Obsessivo (TOC).

O que faz a ansiedade ser o que é são fatores físicos como a predisposição genética e hormonal, e fatores ambientais como problemas de demanda, excesso de informação e convivência com muitos indivíduos tão ansiosos quanto. Em geral, essa condição acomete mais mulheres do que homens. Juntando isso à cobrança constante, a mulher se torna mais vulnerável a essa situação.

Treinamento de foco

Como a ansiedade se baseia no reconhecimento de um estímulo ameaçador, criou-se um método para treinar o cérebro para ignorar isso e focar em outra situação mais leve ou neutra. Esse método tem mais incidência no tratamento de TOC, mas pode ajudar ansiosos que vivem em constante tensão.

Tirar férias, fazer uma massagem, dar uma saída para encontrar novos ares e praticar exercícios, pode gerar uma melhora. No entanto, se o problema não é resolvido, esse tipo de coisa só pode ser considerado como alívio temporário.

Tratamento da Ansiedade

A psicoterapia cognitiva comportamental tem ajudado a entender pensamentos distorcidos como “não posso, não consigo, é urgente, vai dar errado”. Ela visa a libertação. Tem se mostrado tão eficaz quanto a medicação, mas a associação da terapia com a medicação ainda pode ser recomendado.

Em alguns casos, pessoas que sofrem de ansiedade não admitem e tentam ultrapassar seus limites. Programam várias tarefas num dia e dormem menos de 6 horas. Isso não é saudável. Criar uma agenda é fundamental para evitar tantas tarefas que possam sem impossíveis de se realizar.

Em casos mais graves, as pessoas tendem a ficar agressivas. Nesses casos, pacientes em tratamento devem optar pela terapia medicamentosa. São indicados antidepressivos como a fluoxetina, paroxetina, tetralina, escitalopram e citalopram visando o aumento da serotonina no cérebro, neurotransmissor ligado ao bem-estar. Os resultados podem demorar de 4 a 12 semanas para aparecer. 

Existem diversos meios de conseguir se livrar dessa cobrança constante e sofrimento interminável. Cabe ao ansioso entender sua condição e buscar ajuda.

Compartilhe

Facebook
Twitter
WhatsApp
0
Pedidos