O que é autoestima e qual sua importância

A autoestima pode ser definida como a visão que temos sobre quem somos e o que fazemos. É a forma como nos vemos — e nem sempre essa visão é justa ou condescendente. Por isso, muito se fala atualmente em melhorar ou cuidar da autoestima, já que essa visão pode ser comprometida por nossa autocrítica.

É importante dizer que a autoestima tem um grande impacto na vida humana. Ela é capaz de sustentar as experiências de vida e influenciar em decisões importantes. Quando a autoestima está baixa, o indivíduo não consegue reconhecer o seu próprio valor e pode fazer escolhas ruins para sua vida por causa dessa visão negativa sobre si mesmo.

Considerando o papel da autoestima em nossas vidas, precisamos conversar mais sobre esse assunto e cuidar um pouco mais de nós mesmos, não é? Por isso, a Fepo trouxe neste artigo tudo que você precisa saber sobre autoestima, incluindo dicas para aumentar a sua. Acompanhe!

Afinal, o que é autoestima?

Autoestima está entre os termos mais utilizados nos últimos anos. Ele é definido como uma avaliação subjetiva feita por uma pessoa sobre si mesma. Sendo assim, a autoestima é uma autoavaliação, que inclui suas qualidades, defeitos, comportamentos, escolhas, características físicas, emoções, entre outros aspectos que podem impactar de forma positiva ou negativa.

Também é importante lembrar que a autoestima envolve crenças, aspectos culturais e até mesmo o meio em que a pessoa vive. Tudo isso influencia a forma como cada pessoa avalia a si mesma.

Diversos fatores podem contribuir para que indivíduos tenham sentimentos muito negativos sobre si. Quando isso ocorre, é chamado de baixa autoestima. Dentre os fatores podemos citar a autocrítica, os padrões de beleza inalcançáveis, expectativas irreais sobre a vida, frustrações pessoais e profissionais, traumas, violência doméstica e relacionamentos abusivos.

O impacto da baixa autoestima na vida de uma pessoa é enorme, podendo gerar inseguranças, dificuldade em se relacionar, baixo desempenho profissional, entre outras consequências. Essa visão ruim sobre nós mesmos pode estar também atrelada ao desenvolvimento de transtornos mentais e emocionais como depressão, fobia social, transtornos alimentares e ansiedade.

Sinais de baixa autoestima

A baixa autoestima reflete em diversas situações do nosso dia a dia, por isso, ela pode ser identificada a partir de alguns sinais. Trouxemos os principais sinais de baixa autoestima para que você possa compreender como eles ocorrem.

Desmotivação: o indivíduo não sente vontade de fazer coisas prazerosas;

Distorção na visão de si: a pessoa tem uma visão distorcida sobre suas características;

Pessimismo: frequentemente, foca nos pensamentos negativos;

Comparação: o indivíduo se compara o tempo todo com outras pessoas;

Sensação de inferioridade: a pessoa se sente inferior a outras pessoas.

Esses são alguns dos sinais de que a autopercepção não está bem. Lembrando que algumas dessas sensações podem estar relacionadas com sintomas de outros transtornos, como a depressão, por exemplo. Por isso, é muito importante buscar apoio psicológico para entender nossas emoções e sentimentos.

Qual a verdadeira importância da autoestima?

A autoestima é um dos principais parâmetros para o nosso bem-estar. Sentir-se mal consigo mesmo, ter uma visão negativa sobre si e não valorizar ou admirar a si mesmo não é benéfico para a saúde mental, emocional e física. Isso porque essa percepção impacta diversos aspectos do nosso dia a dia, inclusive na realização de atividades rotineiras.

Quando está baixa, a pessoa tem dificuldade em realizar suas tarefas, pode perder a motivação para sair da cama e ter dificuldade em se relacionar. Além disso, a autoestima baixa pode impedir que a pessoa consiga progredir em aspectos pessoais e profissionais nos quais é preciso ter autoconfiança.

Portanto, a visão que temos sobre nós mesmos é determinante para que possamos viver nossas experiências de vida com mais confiança e alegria.

Como aumentar a autoestima?

O que é autoestima e qual sua importância

Felizmente, a autoestima pode ser desenvolvida através de um processo de autoconhecimento, aceitação e valorização. Vamos explicar em mais detalhes como você pode aumentar a sua autoestima!

Aceitação

Para começar a elevar a sua autoestima, não se cobre tanto e nem se culpe por tudo. É preciso perdoar os erros do passado para viver o presente e o futuro sem culpa. Isso inclui perdoar a si mesmo.

Um exemplo disso é quando a pessoa não está satisfeita com o próprio peso e se sente culpada por comer algo que gosta muito. Ou então quando a pessoa não consegue avançar na carreira e se culpa por não ter conseguido se concentrar no trabalho.

Todas essas sensações trazem uma visão errada de nós mesmos, pois nos esquecemos dos esforços que fazemos todos os dias e das coisas boas que já fizemos. Portanto, não crie ilusões sobre si, procure não se culpar e nem cobrar tanto.

Autoconfiança

Fortalecer a autoconfiança é outro passo para ter uma autoestima elevada. Isso significa “dar uma chance” a si mesmo, acreditar que você é capaz e permitir-se tentar, mesmo sabendo que pode falhar.

Quando você tentar algo diferente e falhar, busque ter uma atitude resiliente sobre o que ocorreu, sem focar nos julgamentos ou pensamentos negativos. E se der certo, não esqueça de comemorar a sua coragem e usar isso como estímulo para tentar outras vezes.

Saiba que fortalecer a autoconfiança é um processo que exige esforço contínuo. Então, seja persistente e arrisque-se.

Não se isole

Outra dica importante é não se isolar. O isolamento social contribui para a baixa autoestima, pois cria um senso de exclusão. A verdade é que os humanos são seres sociáveis e precisam estar em contato com outras pessoas. O convívio em sociedade é fundamental para o nosso bem-estar.

Contudo, é preciso ter cuidado para não usar esse convívio da forma errada. Fazer comparação de si mesmo com outras pessoas por meio das redes sociais, por exemplo, é um péssimo hábito que pode levar à baixa autoestima.

Evite se comparar: cada pessoa é única e possui suas próprias dificuldades.

Busque ajuda, se preciso

Por último, se for preciso, não tenha vergonha ou medo de buscar ajuda profissional para lidar com esse problema. Fazer terapia é indicado para todas as pessoas. Esse atendimento psicológico possibilita ter autoconhecimento, a entender suas próprias emoções e a valorizar quem você é.

Na Fepo, você pode realizar a sua sessão de psicoterapia de forma online. Nós contamos com um time de psicólogos habilitados e qualificados para realizar terapia online, o que irá garantir praticidade, facilidade, comodidade e mais conforto para seu atendimento.

Clique no banner abaixo para agendar sua consulta online:

O que é autoestima e qual sua importância

São muitas as vantagens em fazer terapia online. Agende seu atendimento e continue se informando no blog da Fepo.