Doenças emocionais: por que devo me preocupar?

O nosso equilíbrio emocional deve ser sempre trabalho e, constantemente, algumas dores físicas dependem inteiramente ou em parte do nosso estado mental. Estamos tratando então de doenças emocionais (psicossomáticas), as quais entendem-se por se originar na mente da pessoa. 

doenças emocionais

Algumas doenças emocionas não têm sintomas aparentes, ou seja, não são visíveis. É preciso, portanto, que se faça uma investigação no lado emocional desse paciente, pois só assim chegará a um diagnóstico correto. 

Ao contrário do que muitos pensam, só porque a origem é no nosso inconsciente, não signifique que não seja real, apenas precisa de cuidados diferentes caso a realidade fosse outra. Por isso, o cuidado deve ser redobrado. 

Esse texto objetiva promover uma discussão e informar os leitores sobre as possibilidades existentes de doenças originadas pelo nosso lado emocional. 

A nenhum momento queremos que alguém faça o seu próprio diagnóstico, e sim estamos incentivando os tratamentos e consultas com o profissional de Psicologia. 

De qualquer forma, entenda que todos nós somos diferentes, cada um tem sua forma de reagir ou tratar as pessoas. 

Por esse motivo, não trate o conteúdo do presente artigo como verdade inquestionável, e sim como estímulo para a procura de ajuda médica, se for o caso – apesar de que os psicólogos atuam de maneira preventiva também. 

Como ocorre o diagnóstico de uma doença emocional? 

Imagina-se que, ao tratar de uma doença cuja origem se encontra em nosso psicológico, o diagnóstico é um pouco demorado para se encontrado. Logo, paciência é um dos conselhos principais que precisamos dar. 

É logico que o seu médico te encaminhe para realização de alguns exames de doenças físicas, mas o objetivo é descartar essas opções, para ter mais certeza ainda do que está sendo tratado. Entender a importância disso evita algumas desconfianças com o profissional. 

Não se preocupe, serão feitas várias perguntas e as consultas podem te ruma frequência maior do que o normal, dependendo da gravidade. Mas todos esses métodos existem para chegar a uma doença, transtorno ou síndrome mais condizente com a realidade do paciente. 

O seu tratamento será individualizado, então não espere encontrar as respostas na internet. Pode ser ministrado o uso de alguma medicação (ou não), bem como a adoção de psicoterapia. Enfim, esse é o tipo de coisa que você só vai descobrir após reiteradas consultas e acompanhamento psicológico. 

Caso você tenha algum tipo de vício, é interessante que você já procure melhorar esses fatores, como fumar, algum alimento ou derivados. 

Como tratar de doenças emocionais? 

Obviamente, reforçamos a necessidade de um acompanhamento psicológico, mas essas dicas você pode colocar em prática independente de apresentar ou não sintomas. 

1) Tenha sempre como foco o equilíbrio emocional: juntamente com o autoconhecimento, você consegue encontrar um equilíbrio e as origens para os seus problemas. Lembre-se de que se você tiver qualquer problema, as respostas estarão dentro de você. Portanto, procure sempre estar alinhada com o seu interior. 

Tente manter o seu equilíbrio em relação as suas reações, evite o impulso, mesmo em situações de maior pressão e estresse. Tente ser menos inflexível para resolver os problemas do dia a dia. Conheça os seus limites e procure sempre não atingir. 

 2) Mantenha um diálogo com quem você tenha proximidade e confiança. A conversa com certeza pode ser uma boa forma de liberar alguns incômodos dentro do seu coração. 

Inclusive, quando temos um problema com alguém, é importante esclarecer todos os pontos possíveis com esse alguém, pois guardar rancor impede que você continue com o seu equilíbrio emocional. 

Qualquer coisa pode ser motivo para te desequilibrar emocionalmente, e o que você deve fazer é encontrar métodos de manter o equilíbrio. A conversa é uma delas e por isso sempre tente fazer.

A cada dia que passa mais pessoas são afastadas do trabalho por algum tipo de doença emocional.

3) Pratique algum tipo de exercício físico ou esporte. O nosso corpo é um reflexo do nosso interior, por isso, tente se cansar ao máximo, corra, ande de bicicleta, faça alguma dança, enfim. Seus limites corporais e suas preferências que farão com que isso seja possível. 

Caso você não tenha motivação, lembre-se que a sua saúde que é a prioridade, e não algum padrão estético. Isso que você está fazendo é bom para você e não para outra pessoa, sua saúde mental e física sempre deve estar no topo da sua lista. 

4) Respirar. Isso, respirar. Nossa respiração é tão natural que a gente não percebe quando estamos respirando. Por isso, pare e tente focar a sua concentração no simples ato de respirar. 

Isso pode fazer com o que todo o seu organismo se acalme e, consequentemente, a sua mente. Inspire lentamente pelo nariz e faça com que a expiração ocorra pela boca de forma demorada. Após esse processo, você vai perceber que seus ânimos ficarão mais relaxados e prontos para qualquer situação.

5) Foque no seu presente e mantenha quem você ama por perto. O seu círculo de amigos e quem você vê como influenciador da sua vida diz muito sobre quem você é. O ambiente que você vive deve ser harmônico e agradável. Viver com pessoas que sempre te colocam para baixo, nunca vão permitir seu crescimento. 

Além disso, tente sempre viver no presente. É importante projetar e planejar o futuro, porém não viva na expectativa do amanhã. Você precisa estar onde está nesse exato momento, o fato de que você vive no futuro pode ocasionar em um transtorno de ansiedade generalizada. 

Além do futuro, você não pode ficar se prendendo em fatos passados. O que passou, você precisa tomar como ensinamento e seguir em frente. 

Nada do que aconteceu vai voltar atrás, você precisa olhar para frente e abrir mão de coisas passadas. O seu perdão pode ser a coisa mais importante para definir como será o seu presente. 

O perdão vai contribuir com a inexistência ou diminuição de um possível rancor, e isso tudo contribui para um equilíbrio emocional melhor e uma qualidade de vida que não tem valor. Sua saúde mental deve ser sempre priorizada e sempre que possível, mantenha uma certa frequência com as consultas psicológicas e talvez um tratamento psicológico.

Esperamos que tenha gostado!  

Deixe um comentário

0
Pedidos