psicologia-e-meditacao

Meditação e Psicologia, O bem-estar de mãos dadas

A Meditação e Psicologia fazem parte uma da outra? Por que por muitos anos essas terapias andaram separadas se elas possuem o mesmo objetivo em relação a saúde do ser humano?

 

Meditação e Psicologia

 

O aumento da procura por práticas terapêuticas não farmacológicas tem-se aumentado cada dia mais pela população em geral que busca uma melhoria na qualidade de vida e saúde mental. Algumas são chamadas de “terapias integrativas e complementares”. Sendo que, atualmente se tem muito conteúdo científico e pesquisas que comprovam sua eficácia quanto à redução e o controle de muitos dos problemas de saúde mental enfrentados na atualidade.

 

Outras terapias têm sido colocadas como terapias alternativas, as quais em geral não são possíveis quantificar seus resultados nas técnicas conhecidas pelos pesquisadores, isso não quer dizer que elas não gerem resultados consideráveis, mas os resultados são muito variáveis, de indivíduo para indivíduo.

 

A meditação atualmente ocupa um espaço importante quando se trata do cuidado à saúde mental, e ocupa atualmente um espaço na classificação de tratamento complementar, existem inclusive locais de estudo e pesquisa importantes sobre a meditação, tanto no Brasil quanto no exterior. Inclusive a OMS reconhece que a meditação é uma prática de tratamento complementar inclusive para doenças do coração.

 

Algumas linhas da psicologia têm buscado compreender mais sobre o conhecimento oriental das práticas de meditação. Há poucos anos atrás a psicologia cognitiva e pesquisas relacionadas ao mindfulness têm buscado reconhecer a eficácia de se trabalhar uma atenção plena, como complemento aos tratamentos de transtornos de humos. Inclusive a meditação tem avançado cada vez mais para ser estudada também nos campos da neurociência, medicina comportamental, psiquiatria, entre outros. Estudos relacionados à meditação podem contribuir para o melhor entendimento da prática, da sua aplicação e de seus benefícios quanto aos processos emocionais.

 

A meditação, assim como outras psicoterapias, busca como um processo central a tomada de consciência, na concepção dos pesquisadores Walsh & Shapiro. A tomada de consciência já pode ser considerada como um ato terapêutico segundo pesquisadores.

 

Dentro da meditação existe um processo chamado de desidentificação, que significa desapegar-se de situações negativas e positivas que se apresentam na experiência de meditar e que pode trazer grandes benefícios para a saúde mental, no entanto esse processo não tem sido muito reconhecido e estudado no mudo da psicoterapia, uma técnica que mais se aproxima da desidentificação é a dessensibilização sistemática.  A psicoterapia pode ser um importante aliado com a meditação, pois se realizadas em conjunto se consegue integrar as experiências vivenciadas.

 

Se a meditação e a psicologia se complementam, nós poderíamos estudá-las juntas para se obter um bom trabalho de ambas, mas, no entanto, ainda não se sabe como poderiam juntar esses dois conhecimentos cientificamente e como explicar seus benefícios psicológicos.

 

Sobre a meditação

 

O termo meditação tem sido usado indiscriminadamente para toda e qualquer situação em que uma pessoa esteja de olhos fechados de pernas cruzadas, mas, no entanto, meditação e outras práticas de introspecção têm suas diferenças, meditação vai além do pensar e refletir.

psicologia-e-meditacao

A prática da meditação é muito antiga, vinda de filosofias religiosas, muito significativas para os antigos praticantes, e é por esse motivo, por ter sua origem religiosa que ela tem sido negligenciada pelos estudos científicos. Com o decorrer das décadas isso tem sido diferente, algumas pessoas apenas consideram a meditação como prática de relaxamento físico e concentração, muitas pessoas têm reconhecido como prática terapêutica, que já não se limita mais a lugares específicos de execução, os resultados para os praticantes fiéis da meditação são notórios, e isso fez despertar um pouco mais sobre estudos de aplicações e resultados da prática de meditação realizada entre pessoas com problemas emocionais, já sem associação com a origem religiosa.

 

Pode-se dizer que de certo modo meditar e contemplar, mas o exterior neste momento não participa, a contemplação vem do seu interior, seus sentimentos e emoções, pensamentos bons e ruins, e esse é um ponto de interesse da psicologia, visto que a psicoterapia pode ser influenciada positivamente por essa forma de se observar, e compreender um pouco mais sobre como o ser humano funciona.

 

Se considerarmos o conceito um tanto quanto voltado para a ciência Cardoso ET al. consideram que a meditação é um estado auto induzido e auto aplicável que pode ser alcançado por uma técnica única, clara e definida, que utiliza o foco para evitar os pensamentos, sensações ou distrações. Nesse ponto temos um processo em que todos os sentimentos e juntamente com o seu corpo relaxam consideravelmente.

 

Apesar de associarmos a meditação à imagem de uma pessoa sentada serenamente, sabemos que o exterior não nos diz com certeza de que ela está meditando, ela pode estar apenas relaxando, o que realmente define tal ato como meditação é o que está acontecendo dentro dela, mais especificamente dentro do seu cérebro.

 

Você sabia que a meditação tem diferentes tipos de técnica?

 

psicologia-e-meditacao

As técnicas podem ser diferenciadas da seguinte forma: quanto à atenção que é necessária por parte do meditador, se ela é concentrada, que é quando o meditador precisa concentrar todo o seu foco em uma única coisa, ou se ela é difusa, onde o meditador se atenta a todas as sensações pensamentos que lhe ocorrem, mas não se apega a nenhum deles. Algumas técnicas também utilizam movimentos do corpo e outras não utilizam, assim são denominadas ativas ou passivas.

 

Claro que devemos salientar que a meditação de forma alguma irá excluir a psicoterapia verbal clássica que conhecemos, por que ela é apenas uma técnica com finalidade terapêutica comum, ao passo que a psicologia inclui muitas outras técnicas em conjunto na busca pela melhoria da saúde do indivíduo.

 

“Mindfulness”

 

A então conhecida como a atenção plena, nessa técnica com nome bonito significa apenas estar presente, atento, estar ali concentrado e apenas ali, conectado diretamente com o agora, independente de onde você esteja, ou em qual posição esteja, você precisa estar plenamente concentrado no momento atual.

 

Nesse momento você envolver tudo aquilo que perpassa a experiência deste exato momento, isso inclui cada sentimento, sensação, tudo aquilo que está acontecendo dentro de si mesmo. Sabe quando todos os pensamentos chegam de uma vez e você perde o foco, até mesmo esquece onde está isso pode ocorrer no trabalho, na aula, no banho, você começa a fazer as coisas automaticamente, ou apenas fica parado e sua mente se toma de pensamentos que não condizem com o momento e o lugar que você está ocupando naquele espaço de tempo, assim muitas vezes você simplesmente não consegue manter o foco ou apenas aproveitar o momento.

 

Frequentemente esse estado em que nos encontramos de chuva de pensamentos nos gera uma tensão enorme ou uma desatenção constante, nunca conseguimos focar 100% naquilo que estamos fazendo por causa da nossa mente que não está 100% presente, isso pode resultar em erros e acidentes muitas vezes.

 

Ao que se trata dos pensamentos e estados emocionais ruins, nós tentamos fugir, queremos que aquilo simplesmente desapareça da sua vida, pare de pensar na sua mente e abalar o seu corpo, nós não queremos pensar nisso, então tentamos encontrar uma forma de resolvê-los ou explicá-los a nós mesmos. Mas sabemos que tentar ignorar ou fugir desses sentimentos não traz resultados favoráveis, isso apenas aumenta deliberadamente nosso estresse, nos traz ansiedade, pânico, isso só demonstra que nós não estamos sabendo lidar com nossas próprias emoções e experiências, não sabemos lidar com nossa vida em si.

 

Para desenvolver o Mindfulness realizamos exercícios que trabalhem essa atenção plena organizando os movimentos do corpo, respiração, sensações e concentrando-as para aquele momento em especial, concentrando todo o corpo e mente.

 

O Mindfulness é um foco de grandes pesquisas, que apontam resultados significantes dos benefícios em diversas condições de saúde, sendo elas ansiedade, dependência química, dores crônicas, artrite, agressividade e fibromialgia. Sendo que, ela auxilia no manejo das situações estressantes vividas no dia a dia, melhora na qualidade de vida e na dor. Além disso, nota-se melhora na qualidade do sono, na concentração e atenção, e diminui comportamentos compulsivos e impulsivos.

 

Essa técnica torna mais clara a evidência de que fugir dos nossos sentimentos não é a melhor saída, mas sim, buscar aceitá-los, aceitar as experiências e as emoções que sentimos mesmo que não sejam agradáveis.

 

Vamos tentar aplicar a técnica e conhecer mais sobre ela?

Para iniciantes: três minutinhos de mindfulness

 

Com seus olhos fechados você vai voltar toda a sua atenção para seu corpo, pode ser para o que você está sentindo fisicamente ou o que você está pensando ou sentindo. Agora, se concentre nos movimentos ou na sensação de respirar. Por último volte à atenção para seu corpo e sinta as percepções de onde ele está.

 

Respiração Mindfulness

 

Nesta técnica sua respiração será sua âncora, leve a atenção para seu corpo, mas permita que sua mente divague naturalmente, mas assim que perceber sua distração leve a mente de volta ao seu corpo, repita quantas vezes você precisar enquanto realiza esse exercício.

 

Outras práticas indicadas pelos especialistas

Daniel Goleman: Exercite o seu cérebro

 

Vamos ver como aguçar o seu foco e buscar alcançar a plenitude de sua consciência com esse treino: você precisa primeiramente se sentar de forma ereta e em uma posição que lhe seja confortável, feche seus olhos e concentre toda sua atenção na sua respiração, não tente controlá-la, apenas preste atenção nela, sinta como o ar está entrando e saindo e quando sua mente divagar leve-a de volta para se focar na respiração, é importante repetir com freqüência esse exercício cerebral para fortalecê-lo cada vez mais, além de que, ele te ajuda no domínio da atenção, assim você consegue mais facilmente afastar de si as distrações.

 

Ellen Langer: Veja as coisas de uma forma diferente

 

Para ela a visão e a rotina quando estão viciadas são os inimigos da consciência plena, pois quando estamos fazendo algo rotineiramente, chega um momento em que você começa a fazê-lo de forma automática, deixa de prestar atenção, pois acredita que sabe e conhece aquilo totalmente, consequentemente pode perder diversas oportunidades, pois tudo muda constantemente, se nos sentimos estáveis é porque caímos na armadilha da mente. Cada vez que você olha para algo familiar como se fosse à primeira vez, isso fica ainda mais interessante.

 

Como ser mais produtivo gerenciando seu tempo de acordo com a técnica Pomodoro

 

Essa técnica fala sobre mudar a maneira em como enxergamos as coisas, que também propulsiona a criatividade, em um determinado contexto um erro pode ser um acerto em outro determinado contexto, se você conseguir enxergá-lo dessa maneira.

 

Vipassana

 

Essa técnica é advinda do budismo, e é correlacionada com a filosofia deste, isso inclui alguns conceitos como: tudo é impermanente, o sofrimento humano é resultante do apego e que nada é permanente não existe a alma, a essência, se não há apego, não há sofrimento e não existe o “eu”.

 

Dessa forma a técnica tem base na compreensão desses três conceitos e na atenção a todas as sensações do seu próprio corpo, dessa forma o meditador não irá reagir ao que tem-se observado, gerando um estado de meditação.

 

Essa prática visa desenvolver capacidades simultâneas de relaxamento, estabilidade na atenção e vivacidade. Ao relaxar se promove uma respiração mais calma também reequilibrando todo o corpo.

 

Ekagrata

 

Nessa técnica o meditador precisa manter seu foco em um único objeto eliminado toda e qualquer distração ou pensamento e direcionando seu foco para que ele e o objeto de atenção tornem-se um só, ela é proveniente de uma tradição do Raja-Yoga, e o objeto foco da atenção pode ser desde uma imagem, um objeto comum até sua própria respiração.

 

Essa técnica busca eliminar as distrações que geramos na nossa mente e reforça nossa capacidade de manter contato com o objeto de observação, e assim gerando um consequente aumento de contato com a realidade vivenciada.

 

Se você é ocupado e acredita que a meditação não cabe no seu dia a dia confira essas dicas:

 

psicologia-e-meditacao

 

1.    Pare de lutar contra suas emoções

 

Bem, emoções precisam também ser sentidas, não apenas as boas, como também as ruins, tentar não afastá-las ou escondê-las, mas de certa maneira buscar compreender por que você está sentindo aquilo.

 

Tire 10 minutinhos do seu dia para respirar fundo e pensar, nos motivos que estão te levando a esse sentimento, sinta suas emoções, escute seu corpo.

 

2.     Pense em coisas gratificantes todo dia de manhã

 

Agradeça as coisas boas que você tem e que te ajudam a se manter feliz, sua família, amigos, seu emprego, sua saúde, sua cama quente, sua casa segura, entre outras coisas. Sabemos que muitos estão passando por períodos de dificuldades, mas neste momento é importante que você jogue-as fora de sua mente, só por um instante, e pense nas coisas da qual você tem a agradecer apenas 10 minutinhos pela manhã e seu dia poderá ser totalmente diferente.

 

3.    Realize caminhadas com sua atenção plena

 

Faça uma caminhada leve e serena, além de ajudar o seu corpo físico vai ajudar o seu corpo interno, sua mente, sua alma. Observe o mundo ao seu redor, os detalhes, que você está vendo e vivenciando naquele momento, se concentre no seu “eu” e em onde ele está neste momento. Vá devagar, com calma, sinta seus passos, o vento, o cheiro, sinta aquele momento, sem pensar no passado e no futuro.

 

4.            Preste a atenção no que está no seu prato

 

Muitas vezes estamos comendo e nem prestamos a atenção naquilo, às vezes estamos comendo e fazendo ou pensando em diversas outras coisas que você precisa fazer, às vezes comemos assistindo, trabalhando ou na internet, e isso faz com que nos esqueçamos do ato que estamos fazendo naquele momento, o tornando automático. Buscar sentir a refeição, seu sabor, cada tempero, cada alimento, cada garfada que você coloca na boca, é preciso contemplar de maneira profunda e contemplando seu alimento pelo menos uma vez ao dia, sinta sua textura, sua satisfação.

 

5.    Procure mandar as distrações para longe do seu cérebro.

 

Tire tudo da sua mente e utilize sua própria sabedoria, elimine tudo que enche sua mente, com as informações extras, faça uma lista de tudo aquilo que te distrai, tira a sua energia ou te impeça de focar nas coisas importantes, limpe sua mente, mas não sinta como se estivesse se privando.

 

6.     Veja conteúdos saudáveis.

 

Muitas notícias ruins são mostradas diariamente, e é claro, importante que você as veja, mas mais importante que ver as coisas ruins é ver as coisas boas, que vão transformar sua vida e sua mente e direcioná-la para pensamentos bons e construtivos, que de fato agreguem à sua vida boas coisas e que te façam sentir bem. Procure locais onde existam conteúdos construtivos, sites, blogs, vídeos.

 

7.    Encontre-se com a natureza

 

A natureza é incrível, em meio a tanto cinza dos prédios e construções encontrar um parque ou uma praça e apreciá-lo pode ser uma grande terapia, sinta-se livre e conectado com todo aquele verde, com os animais que o cercam, as flores, os cães. Procure um tempo para ficar em um parque ou praça e curta o ambiente.

 

8.    Encontre amigos e pratiquem juntos

 

Fazer algo com os amigos torna tudo mais prazeroso, não é? Que tal encontrar amigos que queiram praticar as técnicas de atenção plena junto com você, seria incrível.

 

9.    Separe um tempo para meditar

 

A meditação é uma grande aliada para que você encontre sua paz e calma, observe sua respiração, com isso você irá perceber seus pensamentos e sentimentos, mas apenas deixe-os passar, não entre profundamente neles, não deixem que o domine, apenas os observe desaparecer.

 

Você poderá perceber alguns minutos em que sua mente estará sem pensamentos, há apenas o silêncio, esses momentos mágicos são incríveis para sua saúde, você poderá também buscar uma meditação guiada, vários lugares oferecem aulas.

 

10. Se alimente com qualidade

 

Procure se alimentar de forma adequada, coma alimentos naturais e evite os processados, gordurosos e açucarados.

 

13. Durma um bom sono

 

Mesmo que sua rotina seja extremamente corrida e difícil, descansar é fundamental, mantenha o equilíbrio do seu corpo e sua mente, de acordo com sua realidade descanse o quanto for necessário para você.

 

É preciso praticar constantemente

 

Existem ainda muitos outros tipos de práticas de meditação, sendo que elas podem ser ativas ou passivas, difusa ou concentrada. Mas o fato é que nenhuma delas funciona se não houver uma regularidade, a meditação precisa ser praticada e amplamente praticada para ser compreendida, você poderá ler textos, artigos e publicações científicas sobre a meditação, no entanto apenas ire compreendê-la se praticar e não apenas uma vez, os benefícios vêm ao longo do tempo, percebemos as mudanças ao longo de um grande espaço de tempo, muitas vezes você não perceberá uma grande mudança de hoje para amanhã, mas praticando diariamente você poderá notar a mudança do semestre passado para hoje, e esta mudança poderá ser bem significativa, então meditação inclui também persistência.

 

Das diferentes técnicas de meditação, você poderá escolher uma que mais se adapte ao seu dia a dia, sabemos que é corrido, que muitas vezes é difícil encontrarmos tempo para cuidarmos de nós mesmos, mas é totalmente necessário que se inicie a prática da meditação e não a interrompa por não ver os resultados de imediato, paciência e persistência são fundamentais.

 

Sobre a psicologia

 

A psicologia é a ciência que busca estudar os processos mentais e como o ser humano se comporta. Psicologia vem de uma junção de duas palavras gregas psique e logia, psiquê  significa “alma” e logia significa “estudo de”. Antigamente, segundo o que foi descrito por filósofos gregos é que o comportamento e a experiência do ser humano era resultado de manifestações da sua alma.

 

Já atualmente a psicologia estuda o comportamento e a experiência, considerando que o corpo e a mente não são separados, um influencia o outro diretamente, além disso, ela estuda os processos psíquicos que dão origem aos comportamentos.

 

A psicologia estuda questões relacionadas à personalidade, memória, inteligência, aprendizagem, motivação, funcionamento do sistema nervoso, desenvolvimento, comportamento sexual e social, agressividade, depressão e  ansiedade.

 

A psicologia não é só uma arte, é a ciência de se ver e estudar o comportamento humano, como o cérebro humano funciona (o que ainda pra mim parece ser um mistério em grande parte) e como o exterior e o interior se influenciam.

 

Conheça mais sobre a psicoterapia

 

A psicoterapia busca trabalhar através de diálogos e conversas as questões emocionais do ser humano, abordando de diversas maneiras, conectando-se com o subconsciente entre outras ferramentas.

 

Ela é indicada para quando precisamos lidar com diversas situações que vivenciamos diariamente, a ansiedade, a depressão, o luto, o estresse, entre outros. Essa terapia pode ser realizada de forma individual, em grupo ou em casal. Nesse espaço o paciente e o psicoterapeuta vão construir um espaço onde haja segurança e análise de emoções, pensamentos e sentimentos.

 

Pode ser indicada em casos de grande impacto, como traumas ou perdas, depressão profunda, ou até mesmo para lidar com o estresse do dia a dia. Mas é interessante procurar sempre que sentir necessidade, não é um espaço apenas para situações únicas e pré definidas, mas para qualquer momento em que você sinta que algo está afetando o seu dia a dia e o seu bem estar.

 

A psicoterapia pode ajudar qualquer pessoa de qualquer idade e para diversas situações, pois ela busca entender diversos comportamentos.

 

Existem diversos tipos de psicoterapia, deve-se buscar um profissional que atenda melhor suas necessidades, são elas:

 

Psicoterapia breve, onde há um objetivo a ser atingido em determinado período de tempo; Psicoterapia Junguiana, onde se trabalha a partir da análise de sonhos, pensamento e do inconsciente; Psicoterapia Lacaniana onde o psicólogo busca captar atos falhos nas suas conversas; Psicoterapia Cognitivo-Construtivista ela observa o emocional e o sistema nervoso central; Psicoterapia Analítico-Comportamental, trata das relações e do ambiente onde estão; Psicoterapia Cognitivo-Comportamental, busca mudar os pensamentos negativos e destrutivos; Gestalt Terapia é uma terapia que foca no presente; Psicodrama a partir de encenações avalia as emoções; EMDR simula os sonhos para buscar superar traumas; Psicoterapia infantil, indicado para crianças que precisam trabalhar seus medos e angústias.

 

A psicoterapia proporciona o autoconhecimento, contato com as emoções, autocontrole, te auxilia a ver suas habilidades, a encontrar um novo sentido para a vida, derruba muitas frustrações sociais, te faz perceber os relacionamentos de maneira diferente e gera um empoderamento pessoal.

 

Terapias complementares

 

São métodos de tratamento diferentes da medicina tradicional, claro que não podemos excluir a necessidade da mesma, onde ambas se complementam em busca da melhoria da saúde do indivíduo. As terapias buscam harmonizar a mente com o corpo, pois muitas doenças podem ser influenciadas e até mesmo causadas pela desarmonia da mente.

 

A maioria delas tem base em conhecimentos muito antigos, passados entre gerações, em busca desse alinhamento corporal, embora ainda não exista uma grande gama de estudo sobre as terapias complementares, algumas delas são oferecidas pelo Sistema Único de Saúde chamadas de Práticas Integrativas Complementares,  pelo alto número de pessoas que foram e são beneficiadas por essas técnicas, apesar de não estarem presentes em muitos locais, as terapias complementares vêm ganhando cada vez mais espaço tanto da ciência quanto da população em geral, que tem se interessado muito em buscá-las, algo que tinha um alto custo é incrível que seja oferecido gratuitamente para população em geral.

 

As mais conhecidas são: aromaterapia, que utiliza dos aromas de óleos essenciais  vegetais; cromoterapia utiliza-se das cores nos tratamentos; florais que são essências das flores na modificação e busca pelo equilíbrio e harmonização do corpo;  acupuntura a medicina tradicional chinesa que utiliza pequenas agulhas para estimulação de pontos  específicos que se equilibram e minimizam problemas emocionais e físicos e a musicoterapia que utiliza da música como ferramenta terapêutica.

 

Concluindo

 

Podemos afirmar que se a meditação não proporciona benefícios significativos para a vida das pessoas provavelmente não teria sido uma prática conhecida por milhares de pessoas e realizada por muitos anos, mesmo que por muito tempo tenha vivido longe da ciência como se não houvesse algo em comum.

 

Enfim nos tempos atuais a meditação já é reconhecida como prática terapêutica, e seus benefícios comprovados cientificamente por diversas pesquisas, demonstrando mais uma vez que o ser humano tem cada vez mais a real necessidade de se conectar com sigo mesmo, com seu interior e compreender-se de forma mais harmoniosa internamente e externamente também, compreendendo seus próprios sentimentos.

 

Já atualmente a prática terapêutica da meditação não se restringe a lugares específicos, mas apenas onde você se sinta confortável para estar e começar a meditar, existem muitos profissionais que podem te ajudar no processo de meditação, te ajudam a compreender melhor a técnica e sua proposta que é a de lidar da melhor maneira com suas emoções conhecendo-as.

 

Existem lugares que estudam e oferecem meditação, para te auxiliar, é interessante pois é realmente complicado adquirir uma continuidade de uma prática que é totalmente nova para você, exige o conhecimento da técnica específica e um profissional no assunto poderá te auxiliar nesse encontro com sigo mesmo.

 

Embora a meditação tenha vindo de filosofias religiosas orientais nós discutimos aqui uma visão da prática como auxiliar e influenciadora da manutenção da saúde do indivíduo, a pesar de não necessariamente, uma visão da prática de meditação excluir a outra, elas podem se complementar, pois a espiritualidade onde se cultivam crenças, tradições e ensinamentos também fazem parte da saúde, assim como os benefícios de sua prática para o indivíduo.

 

A técnica tem se mostrado capaz de gerar respostas benéficas ao físico e ao mental dos praticantes, em especial benefícios relacionados aos efeitos da diminuição do estresse, problemas de saúde e claro, na promoção da saúde mental, sendo assim, a meditação podendo ser considerada como prática terapêutica complementar.

 

Mas ainda é necessário que se realizem muitos estudos, em especial os mais rigorosos relacionados à prática da meditação atrelada ou não à espiritualidade. Além dos já propostos, como já dito anteriormente a meditação de forma alguma irá excluir a necessidade de se frequentar a psicoterapia, apesar de seus benefícios ela é apenas uma prática dentre muitas estudada pela psicologia para promoção e manejo de fatores prejudiciais à saúde mental.

 

Além da meditação que é uma das práticas complementares, existem muitas outras e até mesmo muitas são oferecidas pelo Sistema Único de Saúde, o SUS e juntamente com a psicoterapia buscam proporcionar aos indivíduos mais qualidade de vida e de saúde.

0
    0
    Seus Pedidos
    Você não possui nenhum pedido.Encontre seu Psicólogo

    Gostaria de conversar com um psicólogo?

    Aperte o botão abaixo para agendar a sua sessão online.