O que é Distimia? Conheça suas causas e sintomas

Com certeza você conhece alguém que ande sempre com um mau humor estampado na cara, que nunca concorda com nada ou nunca aceita fazer nada que não seja do seu agarrado. Sobre essas pessoas que vamos conversar um pouco hoje, o que é distimia?

O mau humor é algo que podemos considerar comum, até porque você não precisa estar de bem com a vida o tempo todo. É normal não se sentir bem as vezes, sem ânimo para as coisas, o problema está na frequência que isso ocorre. 

Se você tem uma pessoa do seu círculo próximo de vida que apresenta essas características, talvez você devesse ter um pouco mais atenção aos sinais, pois esse mau humor pode não ser uma mera sensação passageira. Podemos estar lidando com a distimia.

Ressaltamos que esse texto não objetiva de forma alguma o diagnóstico, sendo este feito somente pelo profissional da área de Psicologia. O intuito do presente artigo é disseminar informação e promover o debate acerca do tema, para viabilizar o entendimento da população.

Por isso, vamos entender um pouco sobre o que é a distimia e porque devemos ter tanto cuidado com esse estado de mau humor? 

O que é distimia? 

A palavra distimia, em grego, é definida como mau humor, então desde os tempos antigos essa palavra já dava a entender que a pessoa que levasse essa característica “distimia” era alguém com uma personalidade complicada, chegando até a ser irritado em muitas vezes. Hoje em dia, a palavra distimia caracteriza um subtipo da depressão. 

No entanto, o comportamento explosivo não é sintoma predominante na distimia, e sim a irritabilidade, contudo o diagnóstico costuma demorar para identificar se a questão a ser tratada é a distimia ou a depressão. 

A distimia é considerada uma depressão mais leve, então, esse paciente apresenta características como a tristeza e o desânimo para atividades rotineiras e já de costume. A depressão se distingue justamente por seus sintomas serem bem claros e evidentes. Mesmo assim, a tristeza é o ponto que se encontra no meio da distimia e da depressão. 

Na distimia, as pessoas costumam apresentar os sintomas desde pequenos, sendo sempre conhecidos como aqueles difíceis de lidar e desagradáveis para companhia. Já no ambiente de trabalho, não conseguem se relacionar com os colegas e sempre trata as coisas com irritação. 

Então quem tem distimia tem depressão? 

O que diferencia a distimia e a depressão, de fato, é a intensidade dos sintomas, mas a distimia é sim uma depressão crônica. 

O diagnóstico da distimia demora, muitas vezes confundida com a depressão, e ao longo do tempo o profissional percebe se o quadro do paciente piora ou melhora. No caso, os portadores da distimia tendem a ter um momento de depressão grave e logo depois volta a “normalidade”. 

Na nossa sociedade existe um padrão de normalidade, e não é essa a qual estamos nos referindo. As pessoas com distimia acham que estão “normais”, porém é uma realidade vivida somente na cabeça dessas pessoas. 

Esse é o ponto que mais é investigado pelos profissionais, os picos e a diferença entre um episódio de depressão grave e outro. 

Para diferenciar a distimia e a depressão é necessário analisar como era a sua vida antes e como está agora. Do nada, a pessoa perde o prazer nas coisas e sua disposição é muito baixa para realizar atividades já rotineiras – no caso da depressão. 

Na distimia, a própria pessoa procura ajuda pois sempre foi tratado como aquele que é irritado e nunca consegue construir uma relação com alguém. 

E nesses casos, quando o psicólogo pergunta a frequência dessa irritabilidade e dificuldade com relações, a resposta é que sempre aconteceu, a diferença é que agora ele está preocupado com essa situação toda. 

Existe uma idade específica para distimia? 

No geral, a distimia manifesta-se na infância ou na adolescência, mas também aparece em outras idades. A adolescência é a idade mais comum justamente por caracterizar uma certa frequência e longevidade do problema. 

Desta maneira, analisa-se como o adolescente é – ou era – em relação aos seus convívios sociais, se era rodeado de amigos ou se fazia amizade fácil, ou sempre é – ou era – difícil de lidar, e por isso, as pessoas se afastam. 

Nos casos dos idosos, esse comportamento ranzinza, geralmente ligado a terceira idade, não é comportamento específico da idade. Precisa sim ser investigado e tomar as devidas providências. Não é comum, mesmo nessa fase da vida, resmungar de tudo e não ter paciência com nada. 

Em qualquer idade é importante tomar cuidado e se atentar aos sinais que esses indivíduos apresentam, de forma a sempre incentivar a ida ao psicólogo para futuras investigações. 

Você que é próximo a essa pessoa com indícios da distimia precisa estimular o tratamento psicológico, pois essas pessoas nunca irão admitir a necessidade do tratamento. Amigos, familiares, colegas próximos…quem perceber, dê um toque e torne essa melhora possível com a ajuda de um psicólogo. 

Quais os sintomas da distimia? 

Os sintomas que listaremos não fazem parte de um padrão, pois todos nós somos individuais, com nossas particularidades. Esses sintomas são os mais comuns e conhecidos, mas você pode ter certeza se é portador ou não da distimia com a consulta e tratamento psicológico. 

Alguns dos sintomas são: 

– O pessimismo é frequente em pessoas com distimia, sendo um dos fatores principais; 

– A desesperança é frequente por entenderem que nada daquilo é possível; 

– A indecisão e a falta de concentração também estão presentes; 

– Alcança um dos extremos na hora de dormir: ou não tem sono nenhum ou dorme demais;

– O mau humor sempre presente nas horas rotineiras da vida; 

– A tristeza também pode e deve ser listada como sintoma, e por isso a distimia é confundida com a depressão. Essa tristeza provém dos outros sintomas, tudo é uma construção; 

– A dificuldade em se relacionar, o que, consequentemente, leva a baixa autoestima, por não se sentir capaz de manter uma relação normal como qualquer outra pessoa. 

Ao primeiro sinal de qualquer desses sintomas, procure ou recomende o profissional da área de Psicologia. O diagnóstico com o profissional é de extrema importância e relevância.

Quer saber mais o que é distimia? Veja aqui.

Esperamos ter ajudado!

Deixe um comentário

0
Pedidos