o-que-e-solitude

O QUE É SOLITUDE?

  • ESTAR SOZINHO OU ESTAR SOLITÁRIO?

Ficar sozinho normalmente não é visto como algo positivo a ocorrer em nossas vidas e pode ser desafiador. Porém existem muitas pessoas que decidem pela escolha de estar só. É importante abrir os olhares para as muitas possibilidades de ser e estar no mundo. 

  • O QUE É SOLITUDE?

A Solitude é a capacidade de ficar e estar só de forma positiva, sem se sentir abandonado ou solidão. Esse sentimento encontra-se diretamente relacionado à qualidade da sustentação emocional e das oportunidades culturais que nos são oferecidas, seja no início ou no decorrer da vida, no conjunto formado pelo ambiente familiar e pela sociedade em que vivemos.

Solitude tem origem do latim solitudo, que significa solidão ou retiro. Tendo em conta que solidão significa estado de que está só, lugar solitário, retiro, então solitude significa igualmente estar só. 

  • OS OLHARES SOBRE A SOLITUDE

É com alguma recorrência que se assiste à confusão entre as palavras solitude e solidão umas vezes utilizados como sinônimos e outras como sendo conceitos diferentes.

Solitude é uma palavra pouco conhecida e utilizada, predominando a confusão e normalmente o uso do termo solidão, provavelmente por esse motivo, mas também por toda a sua força histórica. 

Solitude pode ser entendida como um estar opcional, “estar só ou viver sozinho, pode ser escolha pessoal, obrigatória, circunstancial ou definitiva”. Existem dois tipos de solitude: a solitude exterior que é o estar a sós fisicamente, isto é, não estar com ninguém e solitude interior definida como um estado interior, que também implica alguma solitude exterior.

o-que-e-solitude

  • OS OLHARES SOBRE A SOLIDÃO

Do ponto de vista psicológico, a não partilha afetiva causa prejuízo comunicacional e relacional sendo um fator desencadeador de sentimentos de solidão – sensação de estar só. Neste sentido, a pessoa pode estar rodeada de outras pessoas e mesmo assim sentir-se só. 

A solidão pode ser definida como um fenómeno multidimensional, psicológico e potencialmente estressante; resultado de carências afetivas, sociais e/ou físicas, reais ou percebidas, que tem um impacto diferencial sobre o funcionamento da saúde física e psíquica das pessoas.

  • SOLITUDE vs SOLIDÃO

É importante destacar que a sensação de se sentir só ou em solidão é independente da condição autêntica de se estar ou não só. Neste sentido, fica claro que a solitude e solidão são conceitos diferentes e que extraída a sua essência, solitude significa exclusivamente estar só, isto é, não estar acompanhado. 

  • VIVER EM SOLITUDE

Viver em solitude é uma realidade que tem vindo a aumentar entre muitas pessoas, principalmente entre grupos marginalizados e negligenciados. Neste contexto, a solitude  é, na sociedade em que vivemos, resultado do modo individual de viver que, por sua vez, está relacionada com o efeito acumulado de eventos demográficos, socioeconómicos e de saúde ocorridos ao longo da vida. 

Podemos pensar vários contextos de pessoas em solutide, como no caso das pessoas idosas. Várias têm sido as razões apontadas para a existência de agregados familiares unipessoais de pessoas idosas, como a entrada da mulher no mercado de trabalho, alterando o peso da sua função dentro da família, o surgimento de novas formas de união conjugal, a viuvez, entre outros, tendem a comprometer as condições de cuidado e integração da pessoa idosa na família.

Esta condição de solitude poderá ser, contudo, um aspeto problemático para as pessoas idosas. Essas pessoas que vivem sós em que o cônjuge faleceu, os amigos desapareceram, os filhos estão longe e a vida social é inexistente, são alvo fácil para a solidão e para o sofrimento que acarreta. Assim, viver em solitude é assinalado pelo aparecimento de um conjunto de problemas que podem ultrapassar o domínio da incapacidade física realçando-se a discriminação, a exclusão social e a marginalização, situações que, invariavelmente, produzem grande sofrimento às pessoas.

  • RESPEITANDO E SE ABRINDO PARA AS POSSIBILIDADES SOBRE O ‘VIVER’

Então precisamos reconhecer que a Solitude se trata de um ato voluntário de não ter outra pessoa junto a si, de ficar a sós consigo mesmo e sem sentir nenhum sentimento de vazio ou abandono. Pode ser bastante difícil entender e aceitar essa possibilidade, pelo fato de estarmos acostumados a viver sempre em grupos ou em companhia de alguém. Viver sozinho assusta. 

É importante se permitir mergulhar na solitude, pois isso significa estar bem e em paz com a própria vida. É neste momento que podemos observar, pensar e repensar sobre nossa vida com calma e realizar críticas a fim de evoluir enquanto indivíduo. Não existe a dor de estar sozinho porque você está muito bem acompanhado de sua própria clareza, autoconhecimento e conflitos. Existe um processo de acolhimento dos próprios sentimentos. 

  • CONTRIBUIÇÕES DA SOLITUDE 

Uma das contribuições da solitude é o exercício e desenvolvimentos de habilidades essenciais para o autoconhecimento, como a Inteligência Emocional. 

A inteligência emocional é a nossa capacidade de manejar as nossas próprias emoções, usando-as ao nosso favor e não conta. Ao desenvolver essa habilidade administrativa sobre seus sentimentos, também conseguimos entender a manifestação dos sentimentos de outras pessoas, nos ajudando a construir relacionamentos saudáveis e, consequentemente, mais qualidade de vida. 

A inteligência emocional nos ajuda a pensar melhor, sentir melhor, agir melhor e de forma mais racional, mesmo sob os efeitos dos nossos sentimentos, não deixando que eles controlem suas ações e sua vida. Você aprende a sentir da forma que precisa sentir e sem acumular sentimentos represados ou agir de forma impulsiva, gerando traumas, conflitos e adoecimentos. 

Mesmo se após tantos exemplos e reflexões sobre o que é solitude ainda restar dúvidas sobre como a colocar em prática, aqui vão alguns exemplos:

  • Você pode experimentar a solitude por meio da meditação, yoga, atenção plena;
  • Realizar uma viagem para algum lugar mais remoto ou simplesmente se afastar da rotina intensa e agitada do dia a dia da cidade e do trabalho;
  • Durante o trabalho você pode realizar algumas pausas e se afastar de tudo para conseguir olhar para você e para o trabalho com um olhar ‘de fora’;
  • Pessoas que trabalham com criação de histórias, obra de arte e outros, normalmente busquem a solitude para criar;
  • Realizar um retiro espiritual, se aproximar mais da natureza e prestar atenção nos detalhes que a agitação do dia a dia não te permite;
  • Parar e refletir sozinho sobre suas posturas frente a diversas situações da vida;
  • Trabalhar a solitude na prática da concentração, autoconhecimento e ‘auto acolhimento’ sem culpa ou julgamentos;

A solitude não significa que você quer ficar longe de todo mundo e odeia a socialização, não é sobre isso. A ideia é a de que você tenha seus momentos com você mesmo e a realidade de estar sozinho seja confortável, não havendo a necessidade de se ancorar em outra pessoa para sentir-se bem. 

Sente, desenhe sua vida e sentimentos em um papel, olhe para sua vida, muitas vezes acabamos vivendo e não prestamos atenção em nós. Viver é muito mais que ir trabalhar, cuidar da casa e fazer supermercado aos finais de semana. 

Cuide-se com carinho, você merece!

Deixe um comentário

0
    0
    Seus Pedidos
    Você não possui nenhum pedido.Encontre seu Psicólogo