ansiedade_forte

Como tratar a ansiedade? Ela não precisa te acompanhar pra sempre!

A ansiedade é uma reação normal ao perigo, a resposta automática de luta ou fuga do corpo que é acionada quando você se sente ameaçado, sob pressão ou está enfrentando uma situação desafiadora, como uma entrevista de emprego, exame ou primeiro encontro.

Com moderação, a ansiedade não é necessariamente uma coisa ruim, porquê pode ajudá-lo a ficar alerta e concentrado, estimulá-lo à ação e motivá-lo a resolver problemas. 

Mas quando a ansiedade é constante ou avassaladora, quando preocupações e medos interferem em seus relacionamentos e na vida cotidiana, você provavelmente cruzou a linha da ansiedade normal para o território de um transtorno de ansiedade.

Como os transtornos de ansiedade são um grupo de condições relacionadas ao invés de um único distúrbio, os sintomas podem variar de pessoa para pessoa. 

Mas, apesar de suas diferentes formas, todos os transtornos de ansiedade causam um intenso medo ou preocupação desproporcional à situação em questão.

Embora ter um transtorno de ansiedade possa ser incapacitante, impedindo até mesmo de viver a vida que deseja, é importante saber que você não está sozinho. 

Os transtornos de ansiedade estão entre os problemas mais comuns de saúde mental, e são altamente tratáveis. Depois de entender seu transtorno de ansiedade, você pode tomar medidas para reduzir os sintomas e recuperar o controle de sua vida.

Eu tenho um transtorno de ansiedade?

Como_lidar_com_a_depressao

Se você se identificar com qualquer um dos sete sinais e sintomas a seguir, e eles simplesmente não desaparecerem, você pode estar sofrendo de um distúrbio de ansiedade:

  1. Está constantemente tenso, preocupado ou nervoso?
  2. Sua ansiedade interfere com suas responsabilidades profissionais, escolares ou familiares?
  3. É atormentado por medos que você sabe que são irracionais, mas não conseguem se livrar?
  4. Você acredita que algo ruim acontecerá se certas coisas não forem feitas de uma certa maneira?
  5. Você evita situações ou atividades cotidianas porquê elas causam ansiedade?
  6. Você experimenta ataques repentinos e inesperados de pânico que aceleram o coração?
  7. Você sente que há perigo e catástrofe em cada esquina?

Sinais e sintomas de transtornos de ansiedade

Além do sintoma primário de medo e preocupação excessivos e irracionais, outros sintomas emocionais comuns de um transtorno de ansiedade incluem:

  • Sentimentos de apreensão ou pavor
  • Procurando sinais de perigo
  • Antecipando o pior
  • Problema de concentração
  • Sentindo-se tenso e nervoso
  • Irritabilidade

Mas a ansiedade é mais do que apenas um sentimento. Como um produto da resposta de luta ou fuga do corpo, a ansiedade também envolve uma ampla gama de sintomas físicos, incluindo:

  • Coração acelerado
  • Sudorese
  • Dores de cabeça
  • Dor de estômago
  • Tontura
  • Micção frequente ou diarreia
  • Falta de ar
  • Tensão muscular ou contrações musculares
  • Tremores
  • Insônia

Devido a esses sintomas físicos, os que sofrem de ansiedade costumam confundir seu distúrbio com alguma patologia. Eles podem visitar muitos médicos e fazer inúmeras viagens ao hospital antes que seu distúrbio de ansiedade seja finalmente reconhecido.

É importante procurar ajuda se você está começando a evitar determinadas situações porquê tem medo de ter um ataque de pânico. 

Tratamento para transtornos de ansiedade

Os transtornos de ansiedade respondem muito bem à terapia, e geralmente em um período de tempo relativamente curto. A abordagem específica do tratamento depende do tipo de transtorno e de sua gravidade. 

Terapia cognitivo-comportamental 

Essa terapia ajuda a identificar e desafiar os padrões de pensamento negativo e crenças irracionais que alimentam sua ansiedade. Por exemplo, uma pessoa com fobia social pode piorar sua ansiedade por pensamentos negativos, como “todo mundo pensa que eu sou chata”. 

A base da terapia cognitiva é que as crenças desencadeiam pensamentos, que então desencadeiam sentimentos e produzem comportamentos. Por exemplo, digamos que você acredita (talvez inconscientemente) que deve ser apreciado por todos para se sentir útil. Se alguém se afasta de você no meio da conversa, você pode pensar: “Essa pessoa me odeia”, o que faz você se sentir ansioso. 

As estratégias da terapia cognitiva incluem “conversa interna” racional, teste da realidade, treinamento da atenção, desafio cognitivo e reestruturação cognitiva. Isso inclui monitorar sua conversa interna, desafiar medos e crenças inúteis e testar a realidade dos pensamentos negativos.

Terapia de exposição

Na exposição o paciente é encorajado a enfrentar seus medos e ansiedades em um ambiente seguro e controlado. Através da exposição gradual ao objeto ou situação temida, na sua imaginação ou na realidade, você ganha uma maior sensação de controle. À medida que você enfrenta seu medo sem ser prejudicado, sua ansiedade diminui.

Medicação para transtornos de ansiedade

Se você tiver uma ansiedade grave o suficiente para interferir em sua capacidade de se relacionar, a medicação pode ajudar a aliviar alguns sintomas. Os medicamentos para ansiedade podem formar um hábito e causar efeitos colaterais indesejados ou até perigosos, portanto, pesquise cuidadosamente suas opções.

Muitas pessoas usam medicação anti-ansiedade quando estratégias de terapia, exercício ou autoajuda não funcionam como o esperado. É importante avaliar os benefícios e riscos da medicação para ansiedade, para que você possa tomar uma decisão informada.

Técnicas corretas de respiração

Pode ser útil para uma pessoa que sofre de ansiedade aprender a respirar pelo diafragma, e não pelo peito, a se proteger contra a hiperventilação. A chave é permitir que sua barriga se expanda à medida que inspira. 

Você pode ter certeza de que está respirando corretamente, colocando uma mão na parte inferior do abdome e a outra no peito. Respiração correta significa que seu abdômen se move, e não seu peito. Também ajuda a diminuir a respiração enquanto se sente ansioso. 

Aprendendo a ser assertivo

Ser assertivo significa comunicar suas necessidades, desejos, sentimentos, crenças e opiniões aos outros de maneira direta e honesta, sem prejudicar intencionalmente os sentimentos de ninguém. 

Uma pessoa com um transtorno de ansiedade pode ter problemas para ser assertiva porque tem medo de conflito ou acredita que não tem o direito de falar. No entanto, o relacionamento passivo com os outros diminui a autoconfiança e reforça a ansiedade. Aprender a se comportar de forma assertiva é fundamental para desenvolver uma autoestima mais forte.

Já passou por uma crise de ansiedade? Sente que alguns dos sintomas associados à ansiedade generalizada se encaixam com suas sensações? Você pode encontrar um psicólogo especializado acessando aqui.

Plataformas como a Fepo podem facilitar a busca por um psicólogo especializado em casos de ansiedade que atenda a requisitos específicos para ajudar a todos que precisem de acompanhamento. 

Deixe um comentário

0
Pedidos