como-focar-mais-nos-estudos

Como focar mais nos estudos?

Aprender a aprender

Quando estamos falando sobre aprender e estudar, das mais variadas maneiras, é fundamental entender que o cérebro, nesse processo, se modifica. Já ouviu aquela famosa fala de que “estudar é exercitar o cérebro”? É isso mesmo, quanto mais exercitamos o cérebro com estudos e conhecimentos, mais ele desenvolve habilidades. Como assim? Ora, existe uma capacidade do cérebro que chamamos de neuroplasticidade, que é a capacidade de ele criar novas conexões, potencializam as conexões que já existem, além de deixar os acessos a essas conexões cada vez mais rápidos. Tudo isso quer dizer que estamos treinando e ficando mais inteligentes, ágeis, ampliando competências, não só sobre o assunto específico que estamos estudando, mas esse exercício de aprender faz com que habilidades das mais variadas sejam aguçadas direta e indiretamente. 

Compreender a aprendizagem de forma mais ampla nos dá poder sobre a aprendizagem e o estudo, ou seja, aprender sobre diversos assuntos é ligar a turbina do cérebro e preparar as diversas estruturas dele que são e serão super importantes para outras funções da vida, inclusive habilidades sociais e afetivas. 

Depois de saber tudo isso vem as perguntas mais importantes: Como fazer isso acontecer? Como focar mais nos estudos?

Existem algumas técnicas e organizações que podem te ajudar a focar melhor nos seus estudos. Sabemos que hoje em dia, com a vida tão corrida e tantas obrigações fica difícil se concentrar nesse processo. Então aí vão algumas dicas para te ajudar.

Talvez você se interesse: Como é a cabeça de uma pessoa com transtorno bipolar?

como-focar-mais-nos-estudos

Primeiros passos de como focar mais nos estudos

  • Estudar para provas: Estudar em momentos pontuais, só porque tem alguma prova ou evento específico é trabalhar seu aprendizado e foco somente a curto prazo, com um objetivo único e específico: o bom desempenho naquele momento. Porém esse tipo de prática de estudo não garante um bom aprendizado e acaba por gerar tensão, frustração, exaustão e retrabalho, já que você provavelmente precisará estudar da mesma forma quando surgiu situações semelhantes novamente;


  • Estudar para aprender: Quando estudamos para aprender, estamos pensando e agindo dentro de uma prática a longo prazo, dentro de uma rotina suave, que não haja desgaste físico ou psicológico, dando o tempo necessário para que o cérebro crie e fortaleça as conexões de forma estável e duradoura, deixando o processo mais significativo e prazeroso;


  • Rotina: Se você parar e se atentar, verá que nós dificilmente sabemos entender e buscar as vantagens da recompensa a longo prazo, nós costumamos agir quando o “problema” bate em nossa porta. Esse comportamento é aprendido, então ele pode ser desaprendido. Se mantemos uma vida totalmente imprevisível, sem buscar definir rotinas fixas para as atividades fundamentais para nós então, de fato, a ideia de estudar um pouco a cada dia jamais conseguirá ser concretizada. Quem vive na imprevisibilidade não estabelece rotinas. Portanto é fundamental que busquemos horários fixos na nossa semana para possamos construir e incorporar essa rotina e com isso otimizar nossos estudos.


  • Vou estudar todo dia para quê se vou esquecer? Realmente, nós esquecemos o que estudamos, mas esquecemos só uma parte. O segredo para esse “esquecimento” é justamente a rotina e o exercício da nossa memória. Ou seja, precisamos “estudar> esquecer > lembrar > estudar > esquecer…” e esse ciclo de memória e esquecimento vai tornando cada vez mais lento o esquecimento e mais rápida a memória. Como assim? É simples, quanto mais vezes tivermos contato com aquele conhecimento, mais fixado na nossa memória ele ficará e menos dele vamos perder. 

 

Por exemplo: Sabe quando começamos a trabalhar em um lugar novo e nos primeiros dias temos a impressão de que não sabemos nada, esquecemos rápido e que tudo é muito difícil? Daí passando alguns dias você vai pegando o jeito e quando percebe está craque naquilo? Então, esse também é um processo de aprendizagem baseado na rotina e no hábito. 

 

  • Planejamento: Bom, agora que você já sabe sobre a rotina e o hábito, precisamos pensar em como você planejará e executará isso. Para isso você deve pontuar algumas coisas, pegue um papel e uma caneta e vamos lá:
  • Utilize cerca de 5% do seu tempo para esse hábito. Exemplo: Dedicar por dia cerca de 1 hora e 10 minutos para seus estudos.
  • Que momento do dia? Aqui você deve pensar qual momento do seu dia você pode encaixar essa horinha de forma fixa. É importante definir que essa hora seja sempre a mesma. Lembre-se, estamos falando de rotina. 
  • Onde vou estudar? É importante que tenhamos um local em silêncio, com espaço, confortável e bem iluminado. Importante entender que esse espaço confortável é dentro de um nível de um bom lugar para sentar e manter uma boa postura de coluna, altura, braços, apoio de pés e não uma cama quentinha com aquele cobertorzinho com cheirinho de amaciante. Se você fizer isso a chance de dormir é enorme, então esse conforto precisa ser compatível com o objetivo principal: estudar!
  • Respeite seus horários de sono: Descansar é tão importante quanto ter uma rotina de estudos. Uma pessoa cansada não aprende bem! Então tenha pelo menos suas 8 horas de sono, de preferência durante e noite (se possível, é claro). Encaixe seu horário de estudo de forma que não atrapalhe seu horário de descanso. 
  • Se alimente bem: Uma boa alimentação é fundamental para um bom aprendizado. Se atente para isso. Não adianta comer alimentos super pesados e querer estudar logo em seguida. Se fizer isso, além de ser desconfortável, você não terá rendimento. Sua energia e circulação sanguínea estará dedicada em fazer essa digestão, então seu cérebro não terá a energia que precisa nesse momento. Encaixe seu momento de estudo de forma que não atrapalhe seus horários de refeição.
  • Faça um planejamento de estudos: Crie uma planilha (Excel por exemplo), onde você colocará os temas a ser estudados, quanto tempo para cada tema, assim como exercícios de fixação para exercitar seu conhecimento e raciocínio. 
  • Faça mapas mentais: Crie mapas mentais para estruturar melhor seu conhecimento sobre temas mais importantes. Use cores e formatos que te ajudem a visualizar os caminhos do que está aprendendo. 
  • Faça resumos e flash cards: Fazer resumos sobre os assuntos estudados te ajuda a sintetizar e incorporar esses conhecimentos, assim como os flash cards com pontos importantes a ser revisitados a todo o momento. Cole esses “flash cards” em um local onde você olhe a todo momento e organize em um formato que seja fácil compreender e buscar o que precisa. 
  • Distrações: Tenha em mente que seu momento de estudos é sagrado, então distrações não podem ocorrer. Algumas dicas:
  • Desligue seu celular ou deixe no silencioso e longe de você. Se você deixar perto, a chance de pegar o aparelho a todo momento é grande;
  • Caso esteja estudando pelo computador, não deixe facebook, twitter…ou outras redes sociais abertas. Utilize apenas as abas e arquivos essenciais para seus estudos DAQUELE momento. Abrir vários arquivos ou abas que, apesar de fazer parte do seu conteúdo de estudo, não são referentes aquele dia só irá de atrapalhar e quebrar seu planejamento. 
  • Estude uma coisa de cada vez.
  • Correções: Está tudo bem se seu planejamento inicial não funcionou, a vida é assim mesmo e faz parte do processo. É só ajustar o que não está dando certo, reorganizar seu planejamento e muito foco.

Espero que essas dicas possam ajudar nos seus estudos. Boa sorte e bons estudos!

Deixe um comentário

0
    0
    Seus Pedidos
    Você não possui nenhum pedido.Encontre seu Psicólogo