Como o cuidado com a autoestima pode ajudar no combate à depressão

Autoestima e depressão estão atreladas uma a outra. Embora as origens da depressão estejam ligadas à vários fatores, é certo que a manutenção da baixa autoestima ao longo da vida implica no desenvolvimento desse problema.

A baixa autoestima está relacionada à forma depreciativa com que nos enxergamos, com o fato de não nos aceitarmos, não aceitarmos nossos corpos, nossas crenças, condições, enfim, com o fato de não cultivarmos sentimentos positivos a respeito de nós mesmos.

Muitas vezes, a não aceitação está ligada às nossas rotinas. Isso porque, em tempos tecnológicos e velozes, como os que estamos vivendo atualmente, a pressão de ser perfeito é intensificada pelas redes sociais. Se antes nos comparávamos a todo momento com outras pessoas, agora, por meio da vitrine das redes sociais, temos a percepção que todos têm uma vida perfeita, onde o trabalho, os estudos, as finanças e a vida pessoal vão bem o tempo todo.

Mesmo sabendo que isso é impossível, não conseguimos controlar o sentimento de que não somos bons o suficiente.

Boa autoestima evita ansiedade e estresse

Em algum momento da vida todos nós já nos sentimos fora do padrão da sociedade ou incapazes de realizar algo, entretanto, esses pensamentos ruins invadem as cabeças de algumas pessoas constantemente.

Esses pensamentos estão ligados a baixa autoestima e se desdobram em outros dois problemas: a ansiedade e o estresse. Isso acontece porque quando algo novo ou importante irá acontecer passamos a antecipar as coisas, criando cenários caóticos que nem ao menos chegaram a acontecer.

Desta forma, ficamos ansiosos para corresponder às expectativas (sejam elas boas ou ruins) criadas por nós mesmos e, consequentemente, estressados pelo desgaste causado por esses pensamentos.

Se não for cuidada, a falta de autoestima  pode trazer consequências negativas para o nosso corpo e mente e agravar-se para um quadro de depressão.

Autocuidado e autoconhecimento

O primeiro passo para levantar a sua autoestima é se conhecer e aprender a cuidar de si mesmo. A autoestima está intimamente ligada a autodescoberta, ou seja, entender a forma que você se enxerga e como se sente sobre isso. Para conquistar a autoestima você precisa conhecer-se primeiro e, assim, aceitar-se do jeito que é.

Esse não um processo fácil e rápido, pois estamos acostumados a sempre nos comparar aos outros e a nos enxergar como inferiores, por isso, se desvincular desse hábito não acontece de um dia para outro.

O autocuidado está em todas as ações que você toma a procura da felicidade, qualidade de vida e realização pessoal e profissional.

Algumas ações diárias podem lhe ajudar nessa jornada, que vamos falar a seguir.

Cuidando do seus pensamentos

Nossa mente é o principal combustível do nosso corpo, assim, quando ela não está bem o corpo todo sente. Por isso, é preciso prestar atenção e fazer uma manutenção diária no funcionamento dos nossos pensamentos.

Obviamente nem sempre é possível controlar o que se passa em nossa cabeça, pois os pensamentos ruins surgem do nada, mas você pode aprender a decidir quando é preciso lidar com eles e quando é hora de descartá-los.

Se “cabeça vazia é oficina do diabo” preenchê-la com atividades é uma ótima forma de afastar ou evitar pensamentos intrusos: ler um livro, ouvir músicas que lhe permitam cantar alto ou imergir na letra, assitir um filme ou adotar um hobbie, são algumas das atividades que você pode fazer.

Abrir mão das expectativas das outras pessoas e do sentimento de culpa também são passos determinantes para esse processo.

Alimentação

Uma alimentação balanceada influencia no aspecto do nosso corpo, cabelo e pele, mas também tem forte influência em nossa saúde física e mental.

Comidas gordurosas e com alto nível de açúcar e sal sobrecarregam nosso organismo, isso acarreta em cansaço excessivo, dores no corpo e problemas de saúde física e bucal.

Isso não significa parar de comer aquilo que se gosta e abrir mão dos doces, por exemplo, mas consumi-los com moderação.

Contar com o auxílio de um plano de saúde odontológico e médico é uma importante medida nessa etapa do seu autoconhecimento, assim fica mais fácil agendar consultas e, de sobra, você garante acompanhamento com um dentista e um nutricionista para lhe guiar.

Atividade física

Fazer atividades físicas é imprescindível para os cuidados com o corpo e com a mente. Se exercitar reduz os níveis de cortisol, conhecido como o hormônio do estresse. Quando essa substância sofre alterações e seus níveis estão muito altos em nosso organismo podemos sofrer de lapsos de memória, aumento de peso, diminuição do apetite, estresse, entre outros.

Por isso, praticar atividades físicas relaxa o nosso corpo e mente, ajudando a controlar o fluxo de pensamentos negativos.

É importante lembrar que, ao contrário do que muitos pensam, não é preciso fazer exercícios de alta intensidade, todos os dias e por pelo menos uma hora. Escolher algo que você goste e que movimente o seu corpo já é o bastante.

Visite o médico regularmente

Essa parte não é apenas uma dica, é praticamente uma regra para a vida:  faça um check up completo pelo menos uma vez ao ano.

Sabemos que nem todos seguem esse conselho, mas a medicina preventiva é fundamental para a manutenção do nosso corpo. Afinal, prevenir é melhor do que remediar, não é?

Médicos e psicólogos são fundamentais na jornada do autocuidado, são eles que apontaram os problemas causadores ou motivados pela baixa autoestima, indicar o melhor tratamento e encaminhá-lo para possíveis especialistas.

Visite um dentista

Por muitas vezes a saúde bucal é negligenciada, já que muitos só se dão conta de que precisam de um dentista quando sentem dores nos dentes ou querem mudar a estética do sorriso.

Assim como acontece com a saúde geral, muitos brasileiros não têm o hábito de incluir a medicina preventiva em suas vidas também quando se trata da saúde bucal. Muitos não contam nem com um plano de saúde dental.

Fazer consultas de rotina com o seu dentista previne não só problemas como cáries, mas também ajudam no funcionamento do seu corpo, inclusive do cérebro.

Alguns dos problemas evitados quando a saúde da boca está em dia são:

  • Diabetes;
  • Doenças cardiovasculares;
  • Ansiedade e depressão;
  • Osteoporose.

Além disso, manter um sorriso saudável e bonito ajuda no combate à depressão, afinal, cuidar de si é um processo completo que envolve todo o corpo, incluindo a saúde bucal!

Se você nunca pensou em contratar  um plano de saúde dentário e, por isso, está meio perdido saiba que existem diversas opções e modelos. Comece pesquisando termos mais específicos como “plano odontológico pessoa física”, eles lhe darão informações mais precisas daquilo que você deve levar em consideração ao contratar um.

Autoconhecimento é um processo

É preciso ressaltar que a jornada do autoconhecimento é longa e, muitas vezes, dolorosa. Enfrentar nossos medos e nos desvencilharmos dos pensamentos ruins não é tarefa fácil, isso requer mudanças e prática diária.

Lembramos que as dicas dadas acima precisam ser trabalhadas em conjunto com um profissional especializado, já que estes poderão guiá-lo no momento difícil.

Conteúdo produzido pela Estela Lima, redatora na empresa Ideal Odonto

2 comentários em “Como o cuidado com a autoestima pode ajudar no combate à depressão”

Deixe um comentário

0
Pedidos