Luto: entenda os estágios e como lidar com a perda

Luto: entenda os estágios e como lidar com a perda

A morte é um processo natural da vida. Mesmo sabendo disso, é difícil aceitar que alguém próximo se foi. É nesse momento que surge o luto, uma dor que é descrita como um vazio. Dizer adeus, aceitar a partida e seguir em frente são grandes desafios, porém necessários para que nossa vida possa prosseguir.

Para isso, é interessante compreender quais são os estágios do luto, quando esse sentimento costuma passar e como lidar com a dor de perder alguém.

Pensando nisso, a Fepo trouxe neste artigo tudo sobre o luto para que você possa entender como esse sentimento surge e como ele nos afeta. Acompanhe todas essas informações e as dicas da Fepo para lidar com a perda de alguém querido.

Clique no banner para agendar sua consulta na Fepo:

Luto: entenda os estágios e como lidar com a perda

O que é luto, afinal?

O luto é um processo pelo qual as pessoas passam ao perder entes queridos, alguém próximo ou algo significativo. É uma manifestação emocional diante de uma perda muito dolorosa. Embora o luto seja associado à morte, também é importante lembrar que essa sensação de vazio e de ter perdido algo muito importante pode surgir em outras situações, como em um divórcio, por exemplo.

Em todas essas situações, o luto é o processo da perda e ele ocorre comumente quando perdemos o convívio com alguém muito próximo a nós, como o pai, a mãe, um irmão ou irmã, os avós, filhos, cônjuge ou um amigo querido. Ao não ter mais a presença de quem amamos, nos sentimos incompletos, como se parte de nós também tivesse partido. 

Na psicologia não há um conceito específico que define o luto com propriedade, pois esse é um processo muito particular para cada pessoa. Isso significa que cada indivíduo sente essa perda à sua maneira, com sintomas, características e etapas diferentes.

Embora seja muito difícil lidar e passar por todo o processo do luto, é durante essa fase que muitas pessoas podem perceber o quanto o corpo está ligado à alma, já que o luto é uma dor sentimental, mas que pode provocar diversos reações que são físicas, como sensação de sufocamento, dor no peito, tremedeira, fraqueza e tontura.

A descrição do luto dada por diversas pessoas é de que essa dor se manifesta através de diversos sintomas, como tristeza profunda, sensação de vazio que não pode ser preenchido, choque gerado pela situação, ansiedade, raiva, estresse, entre outros que também trataremos no artigo. Mas é importante compreender que o luto se manifesta de formas diferentes em cada pessoa.

Quanto tempo dura o luto?

Não há como dizer quanto tempo dura o processo de luto, já que cada pessoa responde de uma forma diferente ao passar por perdas. Portanto, a duração dos sintomas que surgem durante o luto também varia.

Porém, há 5 estágios bastante conhecidos, que também são chamados de fases do luto e tornam possível identificar o comportamento das pessoas ao longo desse processo. Nós explicaremos cada uma dessas fases em mais detalhes a seguir!

As 5 fases do luto

1. Negação

A primeira fase que surge com o processo de luto é a negação. Ao se deparar com a morte de uma pessoa muito querida, o primeiro sentimento que costuma surgir é de uma tristeza profunda. A dificuldade de lidar com esse sentimento, que surge de forma repentina e inesperada na maioria das vezes, faz com que o indivíduo negue o que aconteceu para não ter que lidar com essa dor. 

Por isso, é comum que algumas pessoas tentem voltar à vida cotidiana logo após sofrer a perda de uma pessoa próxima, para evitar os pensamentos e o enfrentamento que é ter que lidar com todo esse sentimento gerado pelo luto.

Portanto, nessa fase, as pessoas tentam negar o que aconteceu e seguir suas vidas normalmente. Mas tudo não passa de um mecanismo de segurança que tenta impedir que a pessoa se sinta completamente devastada pela dor da perda.

Mesmo com toda a negação, em algum momento, os sentimentos que foram reprimidos surgem e não há como não ceder. Quando isso acontece, o indivíduo já se sente preparado para deixar a fase da negação e vivenciar uma nova fase do luto. É hora de enfrentar todas essas emoções de pesar, por mais difícil que elas sejam.

Como exemplo dessa fase podemos citar situações como:

– a pessoa sai para trabalhar e finge que nada aconteceu;

– tenta voltar à rotina sem mencionar sua perda;

– ela se concentra em atividades que permitam desviar a atenção do seu sofrimento;

– diz que está bem e que está lidando com tudo isso de forma tranquila.

2. Raiva

Na segunda fase do luto, surge a raiva, que não é um mecanismo de enfrentamento como na fase da negação mas, sim, uma “máscara” que tenta esconder os sentimentos de dor e sofrimento.

Nessa fase, a pessoa tenta encontrar um culpado por estar se sentindo assim e pode acabar direcionando a sua raiva até mesmo para a pessoa que faleceu, por exemplo. Em situações que não estão relacionadas à morte, o indivíduo pode “descontar” sua indignação no ex-parceiro ou parceira, o antigo empregador e outras pessoas próximas.

Algumas pessoas sentem raiva de si mesmas, extravasando uma maneira de compensar o sentimento de frustração, tristeza e vazio. Contudo, geralmente, essas pessoas estão apenas canalizando todo o seu sofrimento em algo físico para esconder aquilo que estão sentindo de verdade. 

É importante dizer que nem todos passam pelo estágio da raiva. Alguns simplesmente avançam para outras fases, enquanto outros podem se manter neste estágio do luto como em uma espiral. Em casos assim, quem sofre pode precisar de ajuda profissional para conseguir superar essa fase.

Mas quando a raiva desaparece naturalmente, a pessoa consegue pensar de forma racional novamente e todos os sentimentos que foram suprimidos vêm à tona. É hora de avançar mais uma fase. 

Os exemplos de situações que representam o estágio da raiva são:

– a pessoa briga enfurecidamente com outras pessoas tentando encontrar um culpado;

– ela pode ficar com raiva de si mesma e até se machucar para desviar a atenção dos sentimentos;

– culpa até mesmo quem foi a vítima de tudo isso por estar se sentindo tão mal;

– a pessoa que sofre opta por “vestir essa máscara” de raiva para não ter que lidar com o que está sentindo de verdade.

3. Negociação

A terceira fase do luto é o momento em que a pessoa acredita que tem controle da situação. Ela começa a fazer suposições sobre diferentes cenários e circunstâncias como uma tentativa de culpar alguém ou a si mesmo pelo que aconteceu.

É nesse estágio que surgem as hipóteses como: “e se eu tivesse feito isso” e “e se eu tivesse feito aquilo”. Na negociação (ou barganha), o indivíduo acredita que tem o controle da situação e que poderia ter evitado o que aconteceu de alguma forma.

No caso das pessoas que são religiosas, elas se prendem ao pensamento de que Deus ou alguma outra força influenciou no ocorrido. A pessoa que está na fase da negociação geralmente utiliza essas suposições para não ter que lidar com a dor da perda.

Ao ativar esse mecanismo, ela acredita que pode encontrar o culpado ou se curar dessa dor que é tão intensa e avassaladora.

Exemplos de situações que podem ocorrer na fase da negociação:

– a pessoa faz suposições sobre o que poderia impedir o que já aconteceu;

– tenta encontrar uma explicação lógica para a perda;

– pensa que tem controle da situação e que poderia evitar o ocorrido;

– acredita que pode se livrar de toda essa dor ao encontrar um culpado.

4. Depressão

A última fase do luto é a depressão. Nesta fase, que é bem diferente da negociação e da raiva, em que a pessoa se sente muito enérgica, o indivíduo se retrai e experimenta o luto com mais calma. O estágio da depressão costuma ser calmo, frio, solitário e triste. 

Neste momento, as pessoas costumam ficar sozinhas porque não querem ser entendidas ou porque simplesmente têm medo de não serem compreendidas. Mas é importante compreender que, como todas as outras fases, a depressão é sentida de forma diferente por cada um.

É muito comum que a pessoa se sinta confusa sobre seus sentimentos, como se tivesse sido deixada pelo falecido e como se ninguém ao seu redor pudesse compreender essa sensação de vazio. 

É um estágio muito complicado, que pode exigir apoio psicológico para que a pessoa consiga enfrentar todos esses sentimentos e avançar para a próxima etapa do luto. 

Seguem exemplos de situações que podem ocorrer nesta fase:

– a pessoa se afasta de todos e busca o isolamento para lidar com suas emoções;

– ela sente que não pode ser compreendida por outras pessoas;

– os sentimentos que surgem com o luto tomam conta e a pessoa entra em uma tristeza profunda;

– ela pode sentir dificuldade em fazer coisas da sua rotina e desmotivação para continuar;

– a dificuldade em sair dessa fase também é comum e pode exigir ajuda profissional.

5. Aceitação

Finalmente chegamos na aceitação: a fase final de todo o processo do luto. Embora seja a fase em que o indivíduo aceita o que aconteceu, ela não é exatamente agradável ou feliz mas, sim, o último estágio para que a pessoa consiga superar verdadeiramente. 

Na aceitação, a pessoa começa a entender a perda de uma forma diferente e aceita o ocorrido sem questionar tanto tudo que aconteceu. É a fase em que ela consegue conversar sobre a sua perda e é capaz de contar suas lembranças sobre a pessoa que faleceu.

Essa fase traz à tona o sentimento de esperança: é um momento em que a pessoa começa a aceitar as mudanças e a acreditar em dias melhores. O principal ensinamento dessa fase é que nem todos os dias são bons, mas os dias ruins passam e deixam a esperança de que poderemos viver momentos felizes novamente. 

Exemplos de situações que surgem nessa fase:

– a pessoa começa a aceitar melhor tudo que aconteceu;

– há uma compreensão melhor de que as suposições não aliviam a dor da perda;

– a pessoa finalmente começa a sentir que está pronta para seguir em frente;

– surge o sentimento de esperança sobre o futuro.

Como lidar com o luto?

Como vimos até aqui, lidar com o luto não é algo simples. Todos os estágios são um grande desafio para quem está encarando essa dura realidade. Mas saber como lidar com tudo isso da melhor forma possível é importante para manter a mente saudável. 

É fundamental lembrar que o luto é um processo natural e experimentado por todas as pessoas em algum momento da vida, por isso não pode ser confundido com algum tipo de patologia. A pessoa que está em luto não está doente mas, sim, sofrendo muito por uma perda. 

Também é preciso novamente frisar que, dependendo das experiências pessoais e das emoções de cada pessoa, o luto é vivenciado de uma forma diferente. Portanto, jamais podemos julgar o que o outro está sentindo ou a forma como ele está lidando com esse sentimento, pois o que cada pessoa sente é algo totalmente particular e impossível de ser mensurado.

De qualquer forma, existem algumas dicas que podem amenizar a dor da perda de alguém querido. Confira as seguintes sugestões para lidar com o luto e superá-lo de forma saudável:

Respeite seu próprio processo

O primeiro passo para lidar com o luto da melhor forma possível é respeitar o seu próprio processo. É comum que as pessoas busquem referências em outras pessoas e façam comparações para saber se estão evoluindo. Mas, entenda: cada pessoa passa pelo processo do luto de forma única, nenhum é igual. 

Portanto, não se compare com os outros e jamais reprima suas emoções nessa hora. Não sinta vergonha de chorar, não reprima a tristeza que surge ao pensar na perda desse alguém querido e não fique medindo seu progresso para definir em quanto tempo você deverá superar todos esses sentimentos. 

Nesse momento, é preciso compreender que vivenciar o sofrimento de perder alguém pelo tempo necessário é menos danoso do que reprimir esses sentimentos. Ou seja, sentir essa tristeza, que é algo natural, é fundamental para superar o luto e manter uma boa saúde emocional.

Ainda sobre respeitar o seu próprio processo: tente não ficar preocupado com o tempo que poderá levar para que você supere o luto. O mais importante é cuidar da sua saúde ao longo de todo esse processo, buscando ajuda profissional, cuidando da sua autoestima e estando perto de pessoas que te fazem bem. 

Dicas importantes para lidar com o luto dentro do seu tempo:

– não reprima seus sentimentos;

– não compare seu processo de luto com o de outras pessoas;

– não se afaste das pessoas que querem o seu bem;

– sinta a tristeza para que ela possa dar lugar a outros sentimentos;

– não tenha vergonha dos seus sentimentos;

– cuide da sua saúde durante esse processo.

Busque apoio

Luto: entenda os estágios e como lidar com a perda

Durante o luto, uma reação bastante comum é que a pessoa queira ficar sozinha. O isolamento também é um mecanismo que as pessoas usam para evitar o sentimento de tristeza ou ter que conversar sobre o que aconteceu.

Para algumas pessoas, é muito difícil falar sobre a perda de uma pessoa querida e, por isso, evitar o contato social parece ser a melhor forma de lidar. Mas essa não é a melhor saída!

Pelo contrário, a solidão pode trazer muitos mais problemas. A saúde emocional fica muito fragilizada nesse momento e, estando só, as chances de piorar a situação são ainda maiores

Quando a pessoa se isola, ela se sente ainda mais melancólica, como se não pudesse ser compreendida e os sentimentos que antes foram reprimidos podem surgir com intensidade. Esse momento de vulnerabilidade exige justamente o oposto: é preciso contar com o apoio de outras pessoas para lidar melhor com o sentimento de tristeza.

“Dividir” a dor que sentimos a partir do luto com outras pessoas próximas é benéfico para todos os envolvidos. Também é recomendado manter as pessoas que nos amam por perto para termos com quem conversar, desabafar e lidar melhor com o luto. 

Portanto, confira as sugestões da Fepo para não se isolar ao longo do seu luto:

– não se afaste nos momentos de maior tristeza;

– compartilhe seus pensamentos e sentimentos com pessoas próximas;

– se possível, desabafe;

– evite situações que levam ao isolamento social;

– mantenha seu convívio social;

– apoie outras pessoas que também estão passando pelo luto.

Não descuide sua saúde

Outra dica muito importante para lidar com a perda de alguém querido e passar pelos estágios do luto da melhor forma possível é não descuidar da saúde. É muito comum que nesse momento de tristeza e confusão sobre os sentimentos a pessoa acabe descuidando do próprio corpo.

Cuidar de si também é importante para lidar com o luto. É importante compreender que o corpo e a mente “trabalham” juntos. Por isso, quando não cuidamos do nosso corpo como deveríamos, isso também impacta em nossa saúde emocional e em como nos sentimos. 

Por exemplo, se nos alimentamos mal em função de toda a tristeza do luto, podemos nos sentir indispostos, sem energia e isso faz com que os sentimentos negativos fiquem ainda mais intensos. 

Um exemplo de como percebemos que a nossa saúde mental está conectada com a saúde do corpo é na prática de atividade física. Não há como negar que quando nos exercitamos, nosso cérebro libera substâncias que proporcionam prazer e isso já melhora nosso estado de espírito quase que instantaneamente. 

Sendo assim, selecionamos as seguintes dicas para cuidar da saúde durante o processo de luto:

– mantenha a alimentação equilibrada, ainda que sem tanto apetite;

– faça alguma atividade física com regularidade;

– tenha momentos de prazer com pessoas queridas ou mesmo sozinho;

– tire um tempo para que você possa descansar de toda essa pressão;

– comece um novo hobby para ocupar a sua mente e treinar a concentração;

– evite hábitos prejudiciais à saúde, como o tabagismo ou o uso excessivo de álcool.

Procure ajuda profissional

Embora o luto seja um processo natural, particular e que não possui uma duração específica, é preciso saber identificar os sinais para saber quando é necessário buscar ajuda. Com o passar do tempo, é comum que a pessoa consiga lidar melhor com o luto e isso é percebido através do progresso feito dia após dia.

Contudo, se a pessoa se vê em uma tristeza profunda, tem dificuldade em lidar com os sentimentos que surgem por causa do luto e percebe que isso tem afetado sua vida, é preciso contar com ajuda profissional.

Um psicólogo pode ajudar a pessoa a entender o que está sentindo e auxiliar com exercícios para que a pessoa possa superar o luto de forma saudável. 

Dica: Como lidar com o luto por um amigo?

Agora que você já sabe quais são as fases do luto, como elas ocorrem e o que é preciso para lidar com a perda de alguém querido preservando a saúde, queremos apresentar para você a nossa plataforma de psicólogos online.

A Fepo é uma plataforma que possibilita conectar pessoas a psicólogos qualificados para realizar terapia online. É a forma mais simples, fácil e prática de realizar atendimento psicológico com profissionais habilitados e especializados em diferentes linhas teóricas da psicologia.

Convidamos você a realizar terapia online aqui na Fepo. Basta acessar a agenda do psicólogo que você preferir e escolher o melhor dia e horário para sua consulta. Assim, você poderá realizar o atendimento via WhatsApp ou Skype.

E não podemos deixar de destacar que fazer terapia é recomendado para todas as pessoas. A psicoterapia possibilita entender melhor nossos sentimentos, desenvolver inteligência emocional, obter autoconhecimento e fortalecer nossa autoconfiança.

Dica: O que é terapia online e como funciona

Conheça mais sobre os nossos serviços e continue acompanhando nossos conteúdos aqui no blog.